TRT suspende demissões de funcionários de fábrica de fertilizantes de Araucária

Decisão foi tomada diante de impasse em audiência nesta terça-feira (18), em Curitiba; suspensão vale até 6 de março. Sindicato se comprometeu a cessar movimento grevista.

Petroleiros mantêm greve mesmo após Justiça julgar movimento ilegal

A desembargadora Rosalie Michaele Bacila Batista, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 9ª Região, determinou nesta terça-feira (18) a suspensão da demissão dos trabalhadores da subsidiária da Petrobras Araucária Nitrogenados (Ansa), em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba.

A decisão foi tomada diante do impasse entre as partes na audiência de conciliação. A determinação da desembargadora vale até o dia 6 de março, quando haverá uma nova tentativa de acordo.

Os sindicalistas também se comprometeram a cessar o movimento grevista, que está no 18º dia, motivado pelas demissões. A greve foi considerada ilegal pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST).

A empresa anunciou, em 14 de janeiro, a “hibernação” da unidade depois de encerrar as tentativas de vender a fábrica. Conforme a Ansa, 396 funcionários devem ser demitidos até abril. Até sexta-feira (14), 144 haviam sido desligados.

Gerson Castellano, diretor de imprensa e comunicação da Federação Única dos Petroleiros (FUP), afirmou:

A gente avalia que foi muito boa a decisão, muito responsável, uma vez que cessou esse processo de demissões.

Ele explica que essa decisão será levada à categoria no Paraná em uma assembleia, prevista para quinta-feira (20), com um indicativo de suspensão da greve

Gerson Castellano disse ainda:. 

Como diretor da FUP vou levar isso ao conselho nacional que deve encaminhar a suspensão ou não do movimento [nacional]. Entendo que a gente está atingindo o principal pleito que provavelmente suspenda a greve.

Os representantes da Petrobras e da Ansa não quiseram se pronunciar após a audiência.

'Hibernação' da fábrica

Em comunicado, a Petrobras afirmou que a matéria-prima da fábrica estava mais cara que o produto final e que a unidade vinha acumulando prejuízos desde quando foi adquirida em 2013. 

A empresa informou que a produção já foi interrompida, e até que todos os desligamentos sejam efetivados, a fábrica mantém atividades de expedição dos produtos em estoque e de manutenção dos equipamentos para a garantia da segurança operacional, das pessoas e do meio ambiente.

De acordo com a empresa, os desligamentos aconteceriam em três fases. A Petrobras explicou que está oferecendo um pacote de benefícios adicional às verbas rescisórias legais.

Tentativa de acordo

Na audiência desta terça, a Ansa apresentou uma proposta, que foi negada pelo sindicato dos trabalhadores. A proposta previa: 

  • Aviso prévio indenizado
  • Retroação de benefícios aos 144 demitidos
  • Benefício educacional para os dependentes, plano de saúde (médico, odontológico e fármaco) por dois anos, independentemente de obter novo emprego
  • Pagamento proporcional de 40% da remuneração de dezembro de 2019 por ano trabalhado, acrescentando meia remuneração ao final, sendo o piso de R$ 60 mil e o teto de R$ 200 mil

O trecho da ata da audiência diz o seguinte:

Pela desembargadora presidente é dito que deverá ser estudada uma contraproposta, sendo razoável o prazo de 15 dias para a negociação, com suspensão das demissões e, em contrapartida, suspensão da greve.

Fonte: G1

Roberto Carlos Teixeira
Autor: Roberto Carlos Teixeira

Escritor, autor, pesquisador, autodidata. Autor de vários sites de pesquisa, webmaster, profissional multifuncional da área tecnológica, um investigador da política e da gestão pública! Conservador, monarquista e genealogista por hobby. Um apaixonado por História Antiga e Origens dos Povos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.