Coronavírus leva Ibovespa a nova mínima desde outubro

A influência avassaladora do avanço do contágio pela mais nova variação de um conhecido vírus pelo mundo, que vem se mostrando mais do que uma ameaça de pandemia, mas a causa de mais um grande movimento de especulação e destruição da economia global.

Fachada da B3, a bolsa de valores de São Paulo 26/02/2020 - REUTERS/Rahel Patrasso

SÃO PAULO (Reuters) – O Ibovespa teve nova queda nesta quinta-feira, noutra sessão volátil devido às preocupações com a propagação do coronavírus e seus reflexos na economia mundial, mas com bancos atenuando a pressão negativa, enquanto Ambev foi destaque de baixa após prognóstico de cenário difícil para o começo de 2020.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 2,59%, a 102.983,54 pontos, mínima de fechamento desde 9 de outubro, após ter chegado a subir durante a sessão. O giro financeiro do dia somou 39,7 bilhões de reais.

O analista Ilan Arbetman, da Ativa Investimentos, afirmou:

O movimento de hoje corrobora que, ao menos no curto prazo, a volatilidade veio para ficar.

A queda foi bem menor do que os 7% na véspera, quando as ações brasileiras ajustaram-se a fortes perdas nos mercados globais no começo da semana, em meio à rápida disseminação do coronavírus para outros países além da China.

A equipe da gestora de recursos Safari Capital destacou que a volatilidade extrema dos últimos dias incomoda, mas ressaltou que momentos de pânico no mercado também abrem oportunidades.

Apesar do fechamento ainda negativo, o Ibovespa apresentou um melhor desempenho que o norte-americano S&P 500, que terminou o dia em baixa de 4,42%.

O Goldman Sachs cortou suas previsões para os lucros das empresas dos Estados Unidos em razão dos efeitos do coronavírus e agora espera estagnação em 2020 ante o ano passado.

O novo coronavírus atingiu principalmente a China, mas já se espalhou para mais de 40 países, incluindo os Estados Unidos. O Brasil confirmou na quarta-feira o primeiro caso de infecção em um paciente de São Paulo.

O ritmo de contágio nesses últimos dias trouxe apreensão quanto a um efeito na atividade global ainda maior do que o estimado quando os casos estavam concentrados na China, onde o cenário sugere desaceleração na velocidade de propagação. Algumas casas já cortaram previsões para o PIB global.

Agentes financeiros também monitoram o cenário político, incluindo a polêmica entre o presidente Jair Bolsonaro e o Congresso, após ele compartilhar vídeo em que convida a população a participar de manifestações contra os parlamentares(*).

A equipe da XP Investimentos destacou:

O temor é que possa haver algum impacto no calendário de aprovação das reformas.

DESTAQUES

  • AMBEV ON despencou 8,34%, tendo tocado mínima desde outubro de 2018 no pior momento, a 14,28 reais, após reportar queda no lucro operacional medido pelo Ebitda e em margens, bem como aumento nos custos, que espera que continue pesando neste primeiro trimestre.
  • ITAÚ UNIBANCO PN fechou com alta de 0,06% e BRADESCO PN caiu 0,43%. BANCO DO BRASIL ON avançou 1,24%, mas SANTANDER BRASIL UNIT cedeu 0,55% e BTG PACTUAL desvalorizou-se 2,45%.
  • VALE ON caiu 1,94%, em meio ao cenário de menor crescimento global, que também derrubou os preços do minério de ferro na China. Agentes financeiros também acompanham os desdobramentos relacionados ao navio carregado de minério da companhia que está encalhado na costa do Maranhão.
  • PETROBRAS PN e PETROBRAS ON recuaram 3,47% e 3,42%, respectivamente, acompanhando o recuo dos preços do petróleo no exterior.
  • IRB BRASIL ON avançou 6,66%, tendo no radar que a Berkshire Hathaway, de Warren Buffett, praticamente triplicou a fatia que detinha na resseguradora em fevereiro, de acordo com reportagem do jornal O Estado de S. Paulo
  • GOL PN e AZUL PN caíram 8,9% e 6,47%, afetadas pelas preocupações sobre a demanda de viagens com o coronavírus se espalhando por destinos como Europa e Estados Unidos, bem como pela alta do dólar em relação ao real, para níveis recordes. CVC BRASIL ON perdeu 4,27%.

(*) Nota do EditorO Arauto Monarquista, por sua postura de estar sempre em favor da verdade, nas notícias que veicula neste portal, vem veementemente repudiar essa especulação veiculada nesse tópico em especial, a qual já foi desmentida e esclarecida publicamente pelo PR. E em função disso, reiteramos a nossos leitores e seguidores, que ignorem por completo ilações dessa natureza veiculadas pela mídia mainstream. E vimos por essa mesma razão, nos desculpar com nossos leitores e seguidores, em função de acompanharmos o que a grande mídia publica, em todas as ocasiões em que acabamos por veicular, ainda que acidentalmente, exatamente para não faltar com a verdade dos fatos, a opinião particular de certos autores destes mesmos veículos de mídia.

Sigam-me

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ALERTA SOBRE O COVID-19

A epidemia do coronavírus (COVID-19), um VÍRUS CHINÊS, que está em uma rápida evolução, impôs uma situação incomum e perturbadora AO PLANETA e às suas atividades. A nossa equipe ainda tem como principal objetivo manter uma abordagem de notícias como nós sempre fazemos, e por isso estamos introduzindo uma série de mudanças significativas em nossas publicações para explicar essa epidemia que está longe de ser alguma coisa normal. Em vista disso, pedimos a nossos seguidores e leitores que leiam com atenção e isenção as nossas publicações e evitem disseminar a histeria e o pânico entre os demais. Nesse momento crítico atual, tudo o que mais precisamos são de informações confiáveis e de cooperação mútua. FAKE NEWS não são nem um pouco bem vindas, e faremos todo o possível para combatê-las e denunciá-las. Se quiserem informações confiáveis sobre o avanço da epidemia do COVID-19 (Novo Coronavírus) basta clicar no botão abaixo e iremos levá-lo a uma página com informações seguras! Agradecemos desde já a compreensão de todos.