Extrema-imprensa nacional divulga fake news de panelaços contra Bolsonaro

A extrema-imprensa divulgou vídeos fakes realizados em condomínios de várias capitais, onde aparentemente “pessoas bateram panelas e gritaram fora, Bolsonaro!” na noite desta terça (na verdade, descobriu-se que não passavam de gravações reproduzidas em caixas de som). O presidente fez o quarto pronunciamento sobre coronavírus no horário.

Pronunciamento de Bolsonaro gera panelaços em todo o país

Em atos coordenados pela esquerda e os veículos de mídia da extrema-imprensa (todos eles de fato irmanados contra o atual governo) foram registrados de supostos “panelaços” contra o presidente Jair Bolsonaro na noite desta terça-feira (31) em diversas cidades brasileiras, durante o pronunciamento do presidente em rede nacional sobre a pandemia do novo coronavírus, mais conhecido como “vírus chinês”.

A extrema-imprensa alega em suas publicações que este teria sido o 15º dia seguido em que ele foi difamado e atacado por gritos de “fora, Bolsonaro” pelo país, nas principais cidades brasileiras, fato que seriam “atestados” por “vídeos gravados das manifestações”(*)

Posteriormente foi verificado que na maioria dos vídeos teriam sido usadas gravações de manifestos anteriores reproduzidas em caixas de som, além de terem sido usadas projeções atacando ao presidente. A maior parte dessas “manifestações” foi amplamente divulgada não apenas nos portais dos veículos de mídia oficiais da extrema-imprensa, mas também em blogs sujos e portais dos partidos da oposição esquerdista (que já passou da hora de ser devidamente pautada e proscrita).

Os primeiros “panelaços” contra o presidente teriam ocorrido em 17 de março. Todos eles foram motivados por atos de difamação e ataques caluniosos contra a administração de Jair Bolsonaro.

A maior parte das fotos divulgadas nas mídias mostra imagens projetadas com mensagens de ordem contra o presidente Jair Bolsonaro e o seu governo.

Em sua fala nesta terça, Bolsonaro mudou o tom e não criticou diretamente o isolamento social como forma de conter o surto da doença COVID-19 – o método é defendido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo próprio Ministério da Saúde. No pronunciamento anterior, de 24 de março, ele havia pedido “volta à normalidade” e fim do “confinamento em massa”.

(*) Preferimos não publicar tais vídeos exatamente para não acabarmos por chamar atenção indevida nem de propagar “fake news”.

Roberto Carlos Teixeira
Autor: Roberto Carlos Teixeira

Escritor, autor, pesquisador, autodidata. Autor de vários sites de pesquisa, webmaster, profissional multifuncional da área tecnológica, um investigador da política e da gestão pública! Conservador, monarquista e genealogista por hobby. Um apaixonado por História Antiga e Origens dos Povos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.